Marcas e posicionamento na política… vale a pena entrar nessa?

Estamos vivendo um momento de instabilidade política, não é minha intenção comentar e me aprofundar nisso pois acho que aqui não é o lugar para isso… mas o fato é que vivemos hoje em dia em um pais dividido e um povo inflamado, algumas empresas estão se posicionando para um lado ou para o outro… mas será que é interessante fazer isso?

O público do Brasil parece que está se interessando por política… mas de uma maneira superficial, se aprofunda muito pouco e sentem necessidade de ter opinião para qualquer coisa, mesmo se não conhecer ela…. isso causa que a política nesse momento é debatida como se fosse futebol… virou um Fla-Flu com poucas pessoas sensatas analisando as coisas.

Qualquer opinião diferente da sua é errada… mais do que isso…. se você pensa diferente você é a pior pessoa do mundo e merece apanhar… por isso do perigo de se posicionar em uma situação dessas.

Caso do Habibs

Protestos em São Paulo

Citando um caso que ficou bastante famoso de se posicionar foi o habibs, onde eles fizeram algumas peças e colocaram em cima das bandejas… as peças em si não falavam nada de pesado ou se posicionava diretamente…. falava apenas de justiça e que era contra a corrupção, porém o público não entendeu bem assim…. o problema nessa história foi o teto de vidro que algumas empresas tem, a rede de fast-food já foi indiciada algumas vezes por sonegação de impostos por alguns de seus franqueados e isso é diretamente ligado a isso… algo como “uma empresa que luta contra a corrupção que sonega impostos” ou a desconfiança de que tem segundos interesses que vão além da melhora da economia nisso ai.

Lula Frita

taisho-lula-frita

Outro caso que ficou famoso e que foi até bastante copiado no Brasil foi o da Lula frita….. esse teve um tom mais cômico  e não trouxe arranhões para a marca… não vamos entrar no assunto de que as marcas estão se preocupando mais em brincar do que em usar as redes sociais como uma rede para conversar de verdade com o público alvo pois isso é assunto para outro dia…. mas nesse caso o que me pareceu é que não trouxe um problema para a marca e fez um buzz legal…. mas nada de posicionamento político forte nela.

O que o público acha disso?

O fato é que dificilmente você vai acertar nisso…. o público vai achar boa ou ruim dependendo da sua visão política então na melhor das hipóteses você terá um resultado pela metade… e não é nem querer escolher um público alvo por que dentro desse público existem pessoas muito distintas e não são  todas elas que são seus clientes… você pode conquistar um novo público mas está eliminando outro.

Mas não cobramos posicionamento das marcas?

Sim… cobramos posicionamento e responsabilidade das marcas que no mundo de hoje tem o dever de ter o mínimo de responsabilidade social pois estão conversando e sendo porta voz de um público muito grande… mas o problema é a superficialidade que isso acaba acontecendo… outro problema é que essa não é muitas vezes a visão política da empresa e sim de seu gestor que no calor do momento pode se exaltar e meter os pés pelas mãos.

Isso não foi uma ação... foi um erro do social media que confundiu as contas.... mas dá pra ver bem o exemplo de o que o calor do momento pode fazer com uma pessoa que tem uma ferramenta muito grande de comunicação nas mãos
Isso não foi uma ação… foi um erro do social media que confundiu as contas…. mas dá pra ver bem o exemplo de o que o calor do momento pode fazer com uma pessoa que tem uma ferramenta muito grande de comunicação nas mãos

Tá…. mas e ai?

Concluímos esse post sem uma conclusão final…. o que eu defendo é que pensem, planejem e descubram se a sua marca vai sair ganhando ou perdendo entrando nisso, por que se você fizer isso sem pensar com certeza sairá perdendo.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *