//#DeixaElaTrabalhar

#DeixaElaTrabalhar

O jornalismo vivenciou, durante o mês da mulher, agressões físicas e assédios a mulheres enquanto exerciam sua profissão. Dois casos foram emblemáticos, e geraram a campanha #DeixaElaTrabalhar. Porém, aquilo que vimos na TV, se repetiu aqui em Ponta Grossa.

Bruna Dealtry do Esporte Interativo, e Renata Medeiros da Rádio Gaúcha foram as personagens dessas histórias que refletem situações que infelizmente ainda são enfrentadas por mulheres diariamente. Mas que aqui ganharam voz a partir da campanha lançada por um grupo de mulheres jornalistas, com cerca de 50 membras.

Vídeos e a tag foram massivamente compartilhados nos perfis pessoais das jornalistas, de colegas de trabalho, e também das corporações de mídia às quais essas jornalistas pertencem. Instagram, Twitter e Facebook viram os casos serem repercutidos e debatidos.

Além da campanha, o próprio Esporte Interativo debateu o tema ao longo do final de semana, com entradas nos programas de debate da emissora. Todas as jornalistas fizeram questão de demonstrar sua revolta e indignação, dando a devida importância a tais agressões.

O lamentável caso ponta-grossense aconteceu com a assessora de imprensa do Operário Ferroviário, Bianca Machado, após a partida do OFEC contra o Irati, na cidade vizinha no último domingo. A jornalista foi insultada por parte da torcida do time adversário enquanto exercia sua profissão, sabe-se lá com qual argumento. Uma atitude de ódio, intolerância e preconceito velado.

A verdade é que o jornalismo precisa ser um espaço de debate sobre a violência que as mulheres sofrem, e no jornalismo esportivo principalmente (quando pensamos no campo do jornalismo). O preconceito nem sempre se dá por gesto ou palavras, mas pelo próprio desmerecimento de um espaço que aquela profissional conquistou. Respeitem as mulheres. Respeitem as jornalistas. #DeixaElaTrabalhar!

Redatora, jornalista no aguardo do diploma e apaixonada por futebol. Apucaranense de berço e ponta-grossense de coração.