//Cloverfield Paradox e a estratégia perfeita de lançamento da Netflix

Cloverfield Paradox e a estratégia perfeita de lançamento da Netflix

O Superbowl foi há duas semanas, mas ainda podemos comentar sobre ele. Entre vários anúncios e trailer grandes que foram lançados no evento (que é pra isso que o Superbowl serve, o jogo é só um detalhe), o que mais se destacou foi o de Cloverfield Paradox, a continuação da franquia Cloverfield, que começou em 2008.

Perto das outras franquias e filmes lançados no evento, esse foi um bem pequeno, uma franquia bem de nicho, nada que faça muito sucesso nos cinemas (aqui em Ponta Grossa nem chegou), então foi o que mais se destacou pela surpresa e pela sua estratégia de lançamento.

Eles lançaram o primeiro trailer e anunciaram logo em seguida que o filme estaria disponível na Netflix logo após o jogo. Isso caiu como uma bomba para os nerds, que não esperavam isso, não é nada comum isso no mercado de filmes de hoje em dia. Estamos acostumados com anúncios muito antes do tempo, vários trailers, várias cenas e muitas noticias sobre os filmes. O marketing em cima da venda de ingressos está muito agressivo e isso acaba que as vezes perdemos a surpresa dos filmes porque vemos muito antes de ser lançado.

Lembro quando eu era criança, que descobria que um filme seria lançado por que passava no cinema e via um cartaz, as vezes um trailer no Fantástico, mas nada como é hoje em dia. Não estou reclamando, pois gosto muito de viver nesse mundo onde temos muito conteúdo, mas essa sensação de surpresa me dá um pouco de nostalgia e isso foi bem agradável.

Assim um filme pequeno conseguiu surpreender vários gigantes, com verbas de mídia muito maiores. Se funcionou? Ontem saiu um número da Netflix que mais de 5 milhões de pessoas assistiram o filme nos últimos 7 dias, então funcionou muito bem sim.

Que mais filmes pensem estratégias diferentes de lançamento assim.

Christopher Paes é publicitário por formação e também por opção, trabalhou muitos anos em departamentos de Marketing e agora está no “fantástico mundo das agências de publicidade”. Mídia sempre foi o seu principal talento, mas também trabalha com criação e social media.